Notícias

22 de fevereiro de 2019 às 09:27

Médica do caso Samu não é táxi é exonerada do cargo


Crédito:Reprodução/Brasil Urgente - Band

Na tarde desta quinta-feira (21), o presidente do Consórcio de Desenvolvimento da Região de governo de São João da Boa Vista (Conderg), Amarildo Duzi, prefeito de Vargem Grande do Sul, exonerou por justa causa a médica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Amparo Vera Calderon Curvelo - investigada por omissão de socorro após negar envio de um veículo para socorrer um idoso de 80 anos, que morreu no dia 7 de janeiro, em Espírito Santo do Pinhal - junto com outros dois atendentes da equipe.

Segundo Amarildo, a superintendência do Conderg acatou o pedido da comissão administrativa, que apurou a conduta da médica e da equipe, e determinou pela exoneração dos investigados por entender que eles não obedeceram os protocolos de atendimento.

O caso

Um homem de 80 anos morreu no dia 7 de janeiro após o Samu de Espirito Santo do Pinhal não prestar socorro.

O idoso morava com a esposa e ao passar mal, pediu que ela ligasse para o atendimento médico. Porém, o serviço não foi até a residência. O vizinho da vítima, revoltado, ligou mais uma vez e a médica de plantão disse que “Samu não é táxi”, e que o idoso não estava em situação crítica.

Depois de alguns minutos, o homem não resistiu e morreu. 

Fonte: CLIENT

comentários

| 92FM São João'); }
Estúdio Ao Vivo